Você está aqui: Página Inicial / Sobre a Câmara / Notícias / Vereador Marcola entrega presidência da CPI e PT abondona a comissão

Vereador Marcola entrega presidência da CPI e PT abondona a comissão

Publicado em 18/09/2018.
Entrega do cargo foi resposta à decisão da maioria em manter como relator Enéias Clarindo (PSDB) que integra a tropa de choque de defesa da prefeita Paula
Vereador Marcola entrega presidência da CPI e PT abondona a comissão

Foto: Lenise Slawski

Ao final de uma reunião confusa marcada por muitos protestos do público e a derrubada do requerimento que pedia o comparecimento do ex-prefeito Eduardo Leite (PSDB) o vereador Marcos Ferreira, o Marcola (PT), que presidia a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) encarregada de apurar denúncias de possíveis fraudes nos resultados dos exames de pré-câncer de colo do útero entregou o cargo. Logo após o outro vereador petista, Ivan Duarte também abandonou a comissão. O presidente da Câmara de Vereadores, Anderson Garcia (PTB) assumirá o comando da CPI.

Para justificar a decisão de deixar a CPI, Marcola declarou: “Há uma clara intenção da base governista em blindar o ex-prefeito e a prefeita dificultando que sejam ouvidos pela CPI, aliado a isso está a posição do partido que não vê ganhos em uma comissão cujo relatório será feito por um vereador do governo”.

Em nota divulgada a tarde a direção local do PT declara que: “o comportamento do atual Relator demonstram a ação da base do governo em impedir que o relatório aponte as responsabilidades já sabidas pela população, com base nos documentos apresentados e depoimentos já realizados, e ainda, protege os verdadeiros responsáveis para evitar que os mesmos sequer deponham na CPI”.

O pedido de destituição de Enéias Clarindo (PSDB) foi feito com base no fato de que apesar de ser relator ele não compareceu na reunião realizada na semana passada na qual deveriam ser analisados os requerimentos votados nesta terça-feira e, dessa forma, conforme os vereadores do PT teria demonstrado total desinteresse com a comissão.

CONFUSÃO E VOTAÇÃO – A reunião extraordinária convocada para esta terça-feira teve na pauta a análise e votação de 13 requerimentos. Os mais polêmicos eram aqueles que pediam o comparecimento do ex-prefeito Eduardo Leite (PSDB) na CPI e o que solicitava a remoção de Enéias Clarindo (PSDB) do posto de relator. Ambos foram derrotados em votações precedidas de muita gritaria por parte do público e discussões ríspidas entre os vereadores, especialmente Fernanda Miranda (PSol) e Fabrício Tavares (PSD). Nos dois casos o placar foi de sete a três a favor da base do governo.

Outros requerimentos analisados e votados aprovaram: o interrogatório da ex-secretária de Saúde, Arita Bergmann, da diretora do Centro de Especialidades, de três mulheres apontadas como possíveis vítimas de erros nos laudos e da fiscais da Vigilância Sanitária responsáveis por vistoriar o laboratório onde eram realizados os exames.

SEM DATA – A partir da saída de Marcola da presidência da CPI, o novo presidente Anderson Garcia (PTB) suspendeu a reunião marcada para esta quarta-feira na qual seriam ouvidos os agentes da Vigilância Sanitária com a justificativa de que precisa de tempo para tomar pé da situação da comissão.

Texto: Assessoria de Imprensa - vereador Marcos Ferreira, o Marcola (PT)

Redes sociais

Facebook  Twitter  Youtube  Esta imagem é referenciada nos conteúdos do portal.  Esta imagem é referenciada nos conteúdos do portal.

TV Câmara

Atendimento ao Cidadão

Esta imagem é referenciada nos conteúdos do portal.

Leis e Processo Legislativo

Licitacon

Fique por dentro da rotina